Costão do Santinho sedia VII Conferência Brasileira de Estabilidade de Encostas

Costão do Santinho sedia VII Conferência Brasileira de Estabilidade de Encostas

Faça sua reserva

Costão do Santinho sedia VII Conferência Brasileira de Estabilidade de Encostas

 

Durante os dias 2 a 4 de novembro o Costão do Santinho foi palco de pesquisa, fóruns, tecnologia e muita troca de conhecimento. Neste período aconteceu a VII Conferência Brasileira sobre Estabilidade de Encostas. Esta é a primeira vez que o fórum vem para o Estado. O objetivo da conferencia é envolver a sociedade catarinense sobre a importância do planejamento e da prevenção nas construções civis. 

 

O Presidente da Comissão Organizadora, Luiz Antoniutti, revela que as expectativas do evento foram atingidas. “A gente organizou esse fórum aqui em Santa Catarina por uma serie de motivos e o principal deles é que o estado sofre muito com deslizamentos e desbarrancamentos, como em 2008. E a nossa associação, engenheiros civis geotécnicos, busca colocar as suas conferências em regiões que sofrem com problemas de encostas e onde a nossa ciência tenha mais impacto e importância social e a gente tinha uma expectativa de envolver a sociedade catarinense, levar a nossa mensagem e trazer as pessoas para discutir e trazer as suas opiniões e essas expectativas foram amplamente atingidas, secretaria da defesa civil e assinando um termo de compromisso de cooperação com o estado de SC, foi a cereja do bolo com o estado de Santa Catarina”, declarou. 

 

E além disso a conferência é também técnica com uma mostra de 231 postêres e outros estudes e pesquisas científicas realizadas sobre as melhorias da estabilidade das encostas, mas sobretudo, é uma troca de aprendizado, o objetivo da conferência é poder ouvir os colegas, ouvir as sociedade, avaliar os estudos realizados e pesquisas e transformar essa ideologias em realidades capazes de promover o progresso de construção civil é o que declara o presidente,  “essa conferência é técnica, mas também é um troca de ideias é poder ouvir só colegas e suas várias ideias, seus desenvolvimentos e pesquisas, várias pesquisas que eles tem colocado em pratica que vão ser no futuro também soluções inovadoras que vão garantir obras mais econômicas e mais seguras então aqui também é, afinal, a nossa base é técnica, mas focada nas pessoas, no progresso das pessoas”, destacou.

 

 

O evento tem um viés plural, ele não é um evento apenas para engenheiros, é um evento que permeia estudantes com trabalhos apresentados, é realizado com a sociedade, com a gestão do estado, com professores universitários é um evento feito de pessoas para pessoas, com muita gratidão e coração – pensando sempre em como a engenharia pode melhorar a qualidade de vida das pessoas, principalmente aquelas que estão em situação de vulnerabilidade, como destaca Antoniutti. “É muita gratidão que eu sinto de ter podido liderar a comissão organizadora desse evento e eu estou muito satisfeito com o resultado quem faz esse evento são as pessoas quando a gente traz a s nossas contribuições e leva outras retribuições e coloca em prática na sociedade atingimos resultados que muitas vezes são imensuráveis somos engenheiros civis geotécnicos no caso e a gente sabe que temos muito peso em muitas obras e consequentemente também para a sociedade a gente tem condição de trazer progresso. Esse deve ser o nosso propósito de execução de trabalho,   a gente tem que pensar nas pessoas e pensando nas pessoas a gente tem que pensar em progresso, não pensar só em resultados individualistas ou econômicos temos que pensar em resultados que vão além disso e é uma honra liderar um evento de pessoas estudiosas ,pessoas do bem, pessoas que estão aqui pensando em progredir  em trazer em benefícios para outras pessoas, sem dúvida esse evento é um evento de feito de pessoas para pessoas”, revelou. 

 

O evento em si, possui uma mensagem a ser dada, a mensagem de que sim, a engenharia pode fazer diferente e promover melhores condições de construções capazes de mitigar os riscos que a população sobre quando há um desbarrancamento de uma encosta, asseverou o Presidente, “é importante o conhecimento técnico e que é importante planejar e prevenir. Mitigar riscos também é importante, mas o mais importante é utilizar o conhecimento técnico que a engenharia brasileira tem em benefício do planejamento e da prevenção. Essa é a grande mensagem que a gente gostaria de deixar para as pessoas que estão tendo contato com a gente pela primeira vez”, declarou. 

 

A Conferência foi realizada no Salão Cascaes do arquipélago de eventos do Costão do Santinho Resort, Golf & Spa. O Salão Cascaes, que sedia o evento, possui uma área de 943m², o salão Cascaes é ideal para a realização de shows, banquetes, exposições e feiras para até 1.500 participante, apresenta um foyer, 6 salas de apoio, palco e 2 camarins e é altamente ajustável para o tamanho do evento em que sedia como declara o Antoniutti, “O Costao do Santinho obviamente é um local muito aprazível e a gente vê que reúne condições técnicas de receber o evento, um serviço muito bom, um espaço físico excelente, ele coube como uma luva para nós, vocês, percebem que a gente usou as áreas aqui plenamente. Ficou dimensionado exatamente do nosso tamanho. A plenária e as salas dos cursos em paralelo. Então acho que esta estrutura de vocês é excelente, além de todo o contexto lúdico que o espaço dispõe, afinal, a gente tá aqui numa praia maravilhosa que é a Praia do Santinho que tem uma história, inclusive pré colombiana, que são a inscrições rupestres, então, a gente sabe que isso mexe com a cabeça e com a emoção das pessoas. É claro que a gente pensou bastante analisou quais eram os melhores locais e o Costão, era sem dúvida, sempre o preferido. E se tornou viável principalmente quando você faz uma análise de custo benefício do que é o all inclusive do hotel e o tamanho do Salão Cascaes é muito bom e foi perfeito pra gente”, expôs.  

 

Créditos das fotos: Sandra Puente.

Pacotes